Português Italian English Spanish

Porque toda história merece ser contada

 contato@libelluseditorial.com   (83) 98103-8973
Menu

Tenho raiva da escola


O estudo desenvolvido na obra Tenho raiva da escola evidencia o protesto interior diante de dificuldades encontradas – querer aprender uma matéria e não conseguir, querer tirar uma boa nota e não atingir. Não realizar a aprendizagem também se apresenta, nesse contexto, como um fator que indica fortemente que o/a aluno/a tem o estudo como um valor, como algo importante.

Autora: Anniely Laís Lima Melo

 

SUMÁRIO:

APRESENTAÇÃO                                                                                                       

1 TECENDO UMA PESQUISA NA INTEIREZA DE UMA EDUCADORA   APRENDIZ                                                                                                    

1.1 Raiva e educação: os primeiros fios da rede                                                         

1.1.1 A emoção da raiva                                                                                                 

1.1.2 Práticas Desqualificadoras e violência                                                                   

1.2 A Educação Popular como perspectiva norteadora                                            

1.3 Tecendo a rede metodológica da pesquisa                                                            

1.4 O trabalho de campo                                                                                              

1.4.1 Organização e análise dos dados                                                                            

 

2 RELAÇÕES DE PODER NA ESCOLA E DESQUALIFICAÇÃO DO OUTRO                                                                                                                   

2.1 As configurações de poder entre os indivíduos                                                     

2.2 A fofoca na escola                                                                                                    

2.3 O apelido e o xingamento                                                                                       

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS                                                                                     

REFERÊNCIAS